Criar X comprar

Galho de goiabeira achado no mato+pedaço de tecido = suporte para toalhas de rosto e toucas nos banheiros.

Galho de goiabeira achado no mato+pedaço de tecido = suporte para toalhas de rosto e toucas nos banheiros.

Nossa vida por aqui traz exercícios diários de adaptação e, confesso orgulhosa, estamos nos saindo muito bem na maioria deles. Coisas simples como separar e reaproveitar o lixo, trocar detergente por sabão de côco, temperar a comida apenas com o gersal que produzimos, fazer nosso próprio pão e comprar só mesmo o essencial, tem sido uma delícia e uma pergunta: porque não fazíamos isso antes?

Nesse processo de reforma da casa (ainda não 100% pronta, mas já nos abriga) vivemos muito a coisa do criar ao invés de comprar. Viemos para cá com uma merrequinha de grana do nosso carro que vendemos em Minas. É engraçado, mas até para viver sem depender do dinheiro você precisa de dinheiro. Pensamos muitas vezes e ouvimos muito “não é melhor juntar uma grana para depois poder começar essa nova vida com mais segurança?” Sim, seria lindo, mas não estávamos afim de passar mais um ou dois anos correndo atrás de juntar um tutu que, no final das contas, nunca seria suficiente para garantir tal “segurança”. E, me desculpe a boca suja, mas que porra de segurança é essa que a gente tanto quer e acha que precisa? Quando penso nisso, sempre me vem à cabeça um cachorro correndo atrás do rabo, cômico se não fosse tão triste. É a mesma coisa com filhos, as pessoas esperam ficar legal de grana pra poder ter uma criança e se esquecem de tantas outras “condições” tão mais importantes. Mermão, filho dá trabalho e gasta dinheiro sim, mas o que vai fazê-lo feliz não é o que você vai comprar pra ele, amor e carinho tem de graça no coração da gente.

Enfim, nesse processo todo de desapegar um pouco do consumo entramos numa onda de fazer nossas próprias coisinhas, começando por alguns detalhes da casa. Claro que muita coisa teve que ser comprada sim, ainda não aprendi a fazer uma cama, por exemplo, mas um dia eu chego lá. Mas começamos, de forma muito natural, a virar nossos olhos para a matéria prima local e dar mais asinhas à nossa imaginação. Então fomos inventando um troço aqui e outro ali para poder enfeitar tudo com nossa cara, aos poucos e com bem pouco. Um metro de tecido, por exemplo, custou R$13,00 e rendeu capas para latinhas, forro para suporte de canecas, cobriu um pedaço de madeira que virou chaveiro, bolsa de livros no quarto do Tomé, alcinha para suporte de toalha de rosto para os dois banheiros e mais um bocado de coisas. A ideia é bem essa, sabe? Gastar pouco ou nada, invetar moda e ficar com essa sensação gostosa de que aquilo foi feito por você e tem toda a sua energia ali.

IMG_3033_3612

Garrafa pet+fita adesiva colorida = porta lápis pra mesinha de artes do Tomé.

IMG_3034_3613

Pedaço de tecido+prego = bolsas de livros para mini-biblioteca do nosso tico-tico.

IMG_3035_3614

Caixote de madeira achado na feira da cidade = prateleira para brinquedinhos do pequeno.

IMG_3036_3615

Cabo de vassoura velha+pedaço de corda = arara de roupas (nós de-tes-ta-mos armários e fizemos isso em todos os quartos!)

 

Como dizia minha boa e velha avó, não precisa ter talento, basta ser esforçado. Aqui eu acho que é bem isso, não é uma questão de saber ou não costurar, ter o não ideias legais, conseguir ou não um caixote de madeira na feira. O lance é que nos acostumamos tanto com o comprar pronto, que qualquer coisa é desculpa para não criar ou, ao menos, nos permitir tentar. Mas eu te digo, de cadeira, que vale a pena demais. Vale pela diversão de fazer algo novo, vale pela sensação gostosa de se permitir o desafio da criação, vale o sentimento nobre de estar suprindo suas próprias necessidades sem gastar para que outro alguém ou alguma coisa o faça.

É claro que tudo isso tem a ver com um fator muito importante, o tempo. Sim, precisa-se de tempo para fazer com calma e amor, a criatividade da gente é inimiga da pressa. Mas, depois que se toma gosto pela coisa, fica difícil pensar de outra forma. Hoje, aqui em casa, pensa-se duas vezes antes de comprar alguma coisa. Dá pra fazer? Não sei, nunca fiz, vamos tentar? Assim tem sido também com a alimentação, assim tem sido nossa rotina de recriar a relação com grana.

IMG_3037_3616

Pedaço de madeira encontrado nos arredores da casa+uma mãozinha de verniz+ ganchinhos = cabideiro para toalhas e roupas dos banheiros.

IMG_3038_3617

Espelhinhos da venda por R$3,00+bottons antigos = espelho engraçadinho para banheiros.

IMG_3039_3618

Obra linda do marido lindo! Galho de goiabeira+uma mãozinha de verniz = porta retrato de mesa.

IMG_3040_3619

Capa de CD velho+retalho de tecido+fitinha de veludo = porta retrato de parede.

IMG_3041_3620

Cantinho com porta retratos feitos com molduras alternativas e a custo quase zero.

IMG_3042_3621

Molduras de madeira R$1,00 cada+mão de tinta colorida = joguinho de retratos na parede de adobe.

Ainda temos muito o que melhorar nesse “quesito” também, mas começamos a sentir, nessa brincadeira de decorar a casa, que podemos (re) aproveitar mais as coisas, olhar com mais cuidado para nosso entorno, repensar a função e utilidade de tudo. Assim, aos poucos, podemos consumir menos marcas e lojas, depender menos do sistema, precisar menos de futilidades. Tem sido interessante essa nossa descoberta, sabe?  Por mais familiar que sempre tenha sido o “menos é mais”, talvez nunca tenhamos experimentado sua verdade. Agora sim, aqui nesse meio do mato, longe de tudo, estamos mais perto que nunca dessa essência. Saravá!

IMG_3048_3627

Caixotes de feira R$18,00 cada+mão francesa = armário de cozinha diferente

IMG_3047_3626

Pedaço de madeira achado nos arredores da casa+retalho de tecido+prego = porta canecas e xícaras de café.

IMG_3046_3625

Pedaço de madeira encontrado nos arredores da casa+mão de verniz+prego = porta penelas/colheres/coadores…

IMG_3044_3623

Latinhas de leite em pó+retalho de tecido = potes para armazenar grãos, café, frutas secas…

IMG_3045_3624

Caixote de madeira achado na feira da cidade+mão de verniz = porta tempeiros na cozinha.

IMG_3043_3622

Vidros de azeitona reaproveitados da lanchonete da cidade+retalho de pano = suporte para talheres.

Anúncios

64 pensamentos sobre “Criar X comprar

  1. Cada coisa linda!!! Parecem aqueles artesanatos da Vila Madalena que a gente vê e fica com vontade de comprar tudo rs.
    Manuca parabéns, não é facil ser “out of the line”, mas quer saber, acho que os loucos somos nós que estamos aqui a viver nesta selva de concreto.
    Saudades…
    Tuca

  2. Achei sua história no face que alguém postou e venho acompanhando post a post com uma enorme admiração e com um sentimento de “um dia também chego lá”! Muito bom poder ver esse caminho dando certo! parabens!

  3. Ameeeii seu cantinho e a sua coragem!
    Senti a emoção em cada uma de suas palavras e acredite, muito tem essa vontade, mas ficam só nisso mesmo.
    Parabéns, desejo que a cada dia sua escolha continue sendo recompensada com o sorriso do seu Tomé e futuramente da Nina!
    Em breve falarei de vocês no meu blog!

    Beijos.

    =)

  4. Muita coragem de vocês! Parabéns.
    Agora com 13 (para 14) anos, ao ler o post, me vem uma vontade de fazer o mesmo, de levar essa vida maravilhosa, e em comunhão com a natureza, com o meio ambiente, que vocês levam.

  5. Vale chorar?!…chorei, mas foi de alegria de saber que ainda existem pessoas como vocês, famílias assim que dão valor ao que realmente importa, ao que realmente nos traz paz interiror, corremos pra que?…juntamos grana pra que??
    Enfim adorei tudo, e vou seguir de perto desejando a vocês todas as bençãos do céu e que isso contagie o coração das pessoas que de uns tempos pra cá só visam a matéria sem critério algum, quero rever minha relação coma grana 🙂
    Um mega beijo

  6. Cheguei ao seu blog através do – A casa que minha vó queria – e li todos os posts arrepiada. Lá no fundo minha vontade é essa, levar a vida de um modo bem simples, em meio à galinhas e hortas. Parabéns pra vcs que tiveram a coragem de seguir em frente com esse desejo e pelo que vi estão tendo sucesso. O blog, a partir de hoje, está na lista das minhas leituras diárias!! Abraços carinhosos!!

  7. Estou encantada!
    Encantadíssima!
    Esse é meu sonho de vida! Com a diferença que eu quero 5 filhos da minha barriga e 5 adotados. (Sim, o universo ri disso.)

    Eu queria tanto tanto tanto que minha namorada compartilhasse da ideia de irmos morar num lugar bem longínquo ter galinhas, codornas, patinhos, cabra, coelho… Quem sabe até um cavalinhos p gente cavalgar pelo campo!
    Cresci no interior, vim morar na Cidade Maravilhosa, estou grávida, mas queria tanto voltar. Viver de subsistência…
    Ai, estou admirada com a coragem de vocês!
    Parabéns pela atitude, e parabéns pelo marido que topou a ideia!
    Sejam muito felizes aí! E com certeza absoluta esse é o melhor presente de vida que vocês podem dar para os filhos de vocês.
    Mais uma vez, parabéns!!

  8. Quanta beleza em tudo isso! Adorei a história de vocês, achei sua família muito corajosa e linda. Posso falar sobre o Notas sobre uma escolha em um blog onde posto quinzenalmente? Estou encantada com o Tomé. Beijos em vcs quatro!

  9. Chorei e não chorei pouco viu ?! Ver uma família linda como essa tornar objetivos que para alguns “É uma LOUCURA!” me faz acreditar ainda mais no que eu quero/sonho/espero pra mim e pra minha futura família. Em cada canto desse blog eu vi poesia, nas fotos, nos relatos em tudo. Ainda bem que cheguei cedo, assim posso acompanhar desde o começo! Yupiii!

    Ser simples é muito, para quem quer pouco! 😉

    Abraço imenso de quem muito apoia vocês!

  10. Olá, descobri o blog hoje e, simplesmente, amei.
    Sou da Bahia, próximo a Chapada, só que mais pro sertão; Eu morro de vontade de voltar, o que vai acontecer assim que eu terminar a faculdade.
    Fiquei curiosa, qual a cidade da Chapada que vocês estão?
    Conheço essas terras, até as vegetações e formato das casas são familiares.
    Desejo sorte, muito amor e fé em Deus.
    Sejam felizes

  11. Parabéns por essa atitude de mudar, penso sempre em como dar uma vida mais simples para o meu filho em meio a tanta confusão desse mundo de hoje!Amei todos os posts!

  12. Ei Manu, conheci seu blog pelo da Ana e me encantei por ter conversado ontem com o Felipe sobre mudarmos nossa vida e ter encontrado o blog de vocês! Queremos ir pra São Gonçalo assim que os olhares afirmarem que chegou a hora. Já estamos fartos dessa babilônia toda, mas sentimos que ainda há missões não concluídas por aqui. Também pensamos da mesma forma que vocês e tudo que queremos é dar a oportunidade de nossos filhos crescerem em um ambiente assim, perto da natureza e dentro da permacultura. Já estamos pensando em vários projetos para serem desenvolvidos e já nos desapegando.

    Com certeza, em breve, faremos uma visita a vocês! Queremos muito conhecê-los.
    Continuaremos acompanhando o blog e vou segui-la no Instagram.

    Bjão!
    Com amor,
    Fernanda e Felipe

    • Manu e galerinha,

      Parabéns pela decisão. E boa sorte (porque todos precisamos)!

      Eu sou uma pessoa extremamente urbana, do Rio de Janeiro, e não me imagino morando no interior. Mas acredito que há muito o que aprender nesta vida mais ampla que há por aí, e se me permitir acompanharei seu aprendizado por aqui mesmo.

      Seu blog é permeado de amor, e mesmo seus leitores urbanos podem descobrir e aplicar estes valores no asfalto. As vezes acho que a Babilônia só é Babilônia porque a gente está com pressa demais para refletir sobre carinho e respeito. Talvez um dos seus maiores presentes por estas bandas seja o silencio, e o tempo.

      Muito boa sorte, meeeeeeeeesmo!!!

    • Ei, Fernanda!
      Que feliz saber que vcs também estão se preparando para essa vida mais calma e cheia de simplicidade, quanto mais gente nessa barco, melhor!
      Fico aqui na torcida e de casa aberta para receber vocês quando quiserem. Meu Instgram anda um pouco parado, aqui não tenho internet mais no telefone e vez ou outra consigo postar alguma coisa. 😦

      Muito obrigada pelo carinho e tudo de lindo pra vcs também!

  13. Oi! Li o teu blog de cabo a rabo! É o tipo de coisa que preciso ler para criar coragem de fazer o mesmo. Isso, que a minha mudança nem é tão radical assim. Já temos a terra com a casinha ajeitadinha, faltam apenas alguns detalhes e que dependem mais de mim do que do meu namorado. Falta a coragem e o desapego. A nossa vida nova fica 1h30 de onde moro hoje, Porto Alegre. A nossa mudança, pode-se dizer que, é quase que só geográfica, mas vai mexer com muita coisa dentro de mim. Vou deixar de morar grudada com meus pais, na rua onde nasci e cresci, tanta coisa e tão pouca coisa ao mesmo tempo… Amei teus textos! Amei a coragem de vocês! A Nina já deve ter nascido, né? Queria tanto ter a oportunidade de conversar mais contigo, saber mais detalhes desta mudança, mais do que já escreveste matando a curiosidade de muita gente. Quem sabe, um dia, a gente não consegue conversar pessoalmente, né? rererer Eu aqui no sul, tu na Bahia… nunca se sabe. Bueno, já roubei bastante teu tempo. Se me permites, vou continuar acompanhando teus relatos. Quem sabe, aprendo alguma coisa. Toda a felicidade que houver nessa vida para vocês! Com carinho e admiração, Tiane

    • Que mensagem linda, Tiane! Muito obrigada, de coração!
      Acho que cada mudança tem seu relógio e sabe bem a hora de chegar, a sua também vai saber, né?
      Fico aqui na torcida para que dê tudo certo, seja como for.

      Beijos meus e da Nina, que nasceu esses dias e tá enchendo a casa de amor!

  14. Oi! Moramos na mesma cidade e temos os mesmos interesses. Vi vcs poucas vezes. Vc de barrigão e reconheci seu marido na padaria. Vi que vc e seu pequeno frequentam a biblioteca. Vamos marcar um dia para levar as crianças e conversar sobre maternagem, permacultura, diys em casa, etc!

  15. Somos vizinhas aqui! Me indicaram seu blog. Uma pessoa que nem é daqui. Rs. Eu não sei se vc já me viu. Sou “a moça que anda com o bebê todo amarrado” (no sling).

  16. Conheci o blog de vcs depois do post da Ana, da Casa q a minha vo queria. Nossa, ja li tudo e me emocionou demais conhecer essa história. Tem pouca gente no mundo q segue o coração, e é por isso q agora passarei sempre por aqui, na esperança de aprender com esse exemplo lindo,
    Sejam felizes!

  17. Fantástico, adorei. também estamos nesse caminho. Temos uma bebé de cinco meses e meio e muita vontade de viver simples. Temos um terreno pequenino onde fazemos permacultura mas ainda não temos casa. Estamos naquela fase de poupar um pouquinho para a casa e para ampliar um pouco a nossa terra. Mas vocês são uma grande inspiração para nós. Também penso o mesmo, ser mãe e cuidar da nossa família é o melhor do mundo. Beijinhos e muita felicidades para vocês 🙂

  18. Incrível! Parabéns pela iniciativa e muita felicidade nessa jornada! Uma música me vem à cabeça, principalmente pela parede de adobe: my girls, da banda animal collective. “não ligo para coisas materiais, como nossos status sociais. eu só quero quatro paredes de adobe para as minhas meninas”.
    Muita luz para essa família linda!

  19. Olá Familia linda…estou ha 2 dias hipnotizada com sua historia, lendo e vendo todas as suas fotos. Me emocionei varias vezes. Sera que vc tem um email para trocarmos umas ”figurinhas” ? Vontade imensa de viver assim com minha familia! Tenho um filho de 3 anos que me lembrou demais o seu Tome! bjus nos Coraçoes

  20. Ai que inveja… Moro em Salvador e tenho muita vontade de fazer o que vocês fizeram, mas não tenho coragem e com certeza, meu marido nunca aceitaria ir junto comigo, pois é muito consumista.

  21. Oi! Acabei de conhecer seu blog (vi no Blog A casa que minha vo queria) e fiquei apaixonada! Espero que voces sejam muito felizes nessa nova vida! Vocês me inspiraram! Quem sabe nao tomo coragem de fazer o mesmo? AMO a Chapada Diamantina! Em que cidades voces estao?

  22. Olá!!!Achei incrível o seu blog,parece coisa de cinema!!!ja pensou em escrever um livro???
    Venho tentando viver da melhor forma possível,criando meu bebê no meio da natureza,amando os animais e preservando as riquezas que temos,sou contra o consumismo exacerbado,mas ainda não estou tão evoluída como vcs(ainda chego lá) tbm relato tudo num blog e com isso espero inspirar pessoas
    Vc me inspirou e agradeço por compartilhar sua história comigo,com minha família!parabéns pela coragem de viver um sonho,de enfrentar as dificuldades de uma escolha!!!
    Vou ficar torcendo para dar tudo certo e a gente continuar tendo história para ler por aqui!!!!,abraços

    • Ei, Jussara!
      Muito obrigada pelas palavras doces e pelo carinho, são muito bem vindos por aqui!
      Acho que o livro vai ficar mais pra frente, ainda temos muito o que aprender e descobrir por aqui, né?
      Um abraço forte e tudo de mais lindo pra vc também!

  23. Olá! Estamos absolutamente encantadas com sua história. Somos uma família com desejos de uma mudança radical. Em um futuro próximo.
    Copiei seu email e gostaria muito de trocarmos umas “figurinhas”.
    Parabéns pela família linda, pela coragem, pelos desejos, sonhos, filhos maravilhosos.
    Acompanharemos todos os detalhes.
    Um abraço.

  24. Oi Manu! Descobri hoje o teu blog através de um post de uma amiga e confesso que estou desde as 11H me deliciando e viajando em suas publicações e fotos. Tudo mágico e contagiante. E o mais interessante é que me identifiquei com as histórias como se fossem minhas! Inclusive “o Cúmplice”, tenho uma história de vida bem parecida com o meu marido (te conto em outra oportunidade).

    Quanto à vida cigana somos muito parecidas também! Até 8 anos atrás vivi na selva de pedra paulistana! Após muita reflexão resolvi largar tudo e mudar para Ribeirão Preto (onde resido atualmente) com família, mala e cuia. Começamos do zero (tínhamos apenas seguros-desemprego por 3 meses e 8 mil no bolso), nos adaptamos, sofremos, choramos, lutamos e sorrimos. Hoje estamos “estabilizados” e sem uma gota de saudade da vida na capital.

    Porém, a estabilidade me incomoda um tanto. (Re) encontrei o meu marido (parafuso solto como eu) e agora estamos com um ousado sonho de viver no mato e do mato, em uma roça na cidade de Encruzilhada (BA) – uns 250 km da Chapada. Pretendemos nos mudar no segundo semestre de 2014. Enquanto isso o borboletário (como vc diz) toma conta do meu corpo…

    Quero sentir logo o cheiro do mato, a neblina da manhã, o gosto da comida vinda da terra, o cheirinho de café e bolo no final da tarde… e quero muito viver a maternidade, ter uns pimpolhos correndo descalços pela terra e brincando com as galinhas no terreiro…Quero viver!

    Preciso dizer que você me inspirou mais e mais! Amei sua história e admiro muito sua essência transmitida nas palavras. Nos encontraremos qualquer dia!

    Um forte abraço e energias positivas para essa linda família!

    • Simone, meu coraçãozinho besta se enche de alegria quando recebo uma mensagem de alguém seguindo esses passos fortes por uma vida mais simples e cheia de sentido, sabia? Gratidão pelo carinho e por compartilhar sua experiência com a gente! Fico daqui torcendo para que tudo dê certo aí pra vcs, que os caminhos sejam cada vez mais floridos e cheios de leveza, que a gente possa sim se encontrar um dia! Um sopro de energia boa aí pra vcs!

      • Só tenho a lhe agradecer!! E já adianto: estou ansiosa por uma nova publicação sua! Um forte abraço

  25. Adorei o site! conheci através do potencial gestante! Acho que só não conseguirira viver sem internet mesmo… o resto a gente arranja, mas ainda me falta coragem… já usei toda que tinha para largar o emprego e ficar com as crias, tenho que juntar mais alguma para a proxima aventura (rs)
    Fiquei com uma dúvida, e os livros? como faz? sou viciada em livros e vi que vcs também… como faz? imagino que não tenha biblioteca por perto , e o frete para chapada é caro… faz como?

    • Ei, Barbara!
      A gente usa muita a internet pra ler e baixar livros, mas também temos os amigos e parentes queridos que nos trazem quando nos visitam. E o frete pra cá nem é tão caro, é fácil comprar pela net! Ficar sem eles é que é difícil, né?
      Um beijo pra vc!

  26. Lindo!!! Isso define sua postura e decisão…Queria tanto ter sua coragem!!! Sua família é linda.Me inspirei no seus relatos, sonhei, viajei na maionese e voltei a realidade. Parabéns!!! Muita sorte nesta caminhada. E já que não tenho coragem o suficiente vou ficar me deliciando com as suas experiencias Manu. Bjos em toda a família Nádja

  27. São 00:11 e estou desde 20:09 lendo sobre sua história, não tenho palavras para você! Simplesmente você eh genial, parabéns por sua escolha, confesso que apesar de ser bióloga não tenho coragem de morar assim, no meio do mato. Mas um dia com certeza vou evoluir e me desprender das coisas.. Parabéns por sua escolha e wue sua vida seja larga e longa para que vcs continuem inspirando as pessoas!

Solte o verbo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s