familia

Quando a gente tem alma cigana, aprende-se a ser amigo da saudade. Na verdade, essa é quase uma imposição da vida fora de casa, me dei conta disso bem cedo, quando juntei minha matula e fui viver longe da família, aos 16 anos. Às vezes, sinto que minha alma resolveu viver essa amizade meio que como uma defesa para não sofrer esse conflito: o corpo querendo voar mundo afora e o coração sem sair do lado de quem se ama e quer bem.

Muita gente nos pergunta porque optamos por viver tão longe dos nossos, tipo “não dava pra viver essa aventura ali mesmo no interior de Minas ou em algum mato mais próximo de casa?”. Não, mil vezes não! Pra quem vive a vida de peito aberto, desrespeitar o destino é ofensa das mais graves, assim como se apegar à relações, bens materiais, lembranças do que se foi. O lance é encontrar roupa nova para sentimentos já conhecidos, é isso que aprendemos desde muito tempo. Nossa saudade hoje tem saia de babado, blusa de flores e sapato confortável. Nós a vestimos com amor e carinho, e em troca ela não nos dói. Essa forma de cultivar tal sentimento companheiro de quem vive solto foi a mais doce e respeitosa que encontramos até hoje.

02122013-IMG_3794

Todas as pessoas, lugares, experiências, coisas, trocas, momentos que vivemos estão guardados em nossa memória. Algumas de maneira tão forte que as sentimos vivas quando vibram em nosso corpo, quando percebemos sensações que nos transportam pra um tempo passado. Isso é lindo e alimenta nossa alma com um bocado de lembrança boa e a certeza de uma vida bem vivida. É como se tivéssemos nascido uma parede branca e, durante o caminhar, fossemos encontrando peças coloridas e nos transformando em um mosaico enorme que só será completo quando virarmos algodão doce no céu. E nada disso nos dói, causa tristeza, pesar ou vontade de que tivesse sido diferente. A saudade que sentimos é mansa e nos faz bem, afaga nosso peito e nos mostra quanto amor já demos e recebemos nessa estrada.

01112013-IMG_3364

Outra coisa massa que a saudade nos proporciona é a possibilidade de repensar as relações das quais nos separamos geograficamente quando nos mudamos. É realmente incrível como conseguimos nos enxergar melhor em determinado contexto quando estamos fora dele. Então estamos repensando nossos laços familiares, amizades de hoje e de ontem, desatando nós, entendendo porquês, curando feridas, sentindo a importância das pessoas, reavaliando nossos lugares na vida delas e o delas nas nossas. Um exercício natural, cheio de sensibilidade, sorrisos, choro, clareza, surpresas e insistência, porque não é o primeiro e está longe de ser o último. Amém!

Sentimos essa saudade boa de tudo e de todo mundo porque ela não nos remete à falta ou ausência. Pra ser bem honesta, acredito que seja muito pelo contrário. A saudade é um sentimento tão doce e cheio de zelo que pode ser a melhor forma de ponderar o quanto da gente o outro tem. E, cá entre nós, isso é bonito por demais!

Anúncios

30 comentários em “A saudade

  1. Voces são de uma magia unica..amei suas historias,suas lutas,sua fé.Que o caminho se faça sereno a vocês,hoje e sempre! Me fazem ver que o mundo ainda é do bem!

  2. Olá.
    Eu sou editor de um site de crônicas, ensaios, pensamentos e opiniões, chamado ORNITORRINCO [www.ornitorrinco.net.br]. Adoro os seus textos aqui do site, são elucidativos, bem escritos. Há uma qualidade de oferta neles, como se você estivesse nos ofertando suas ideias. No ORNITORRINCO nós temos a pretensão de que seja um espaço do livre pensar, e da exposição de (novas) ideias. Eu queria saber se você toparia que eu pudesse publicar lá no nosso espaço alguns dos seus textos aqui do blog. O que acha? Meu e-mail está aqui: falecomgabpardal@gmail.com para entrar em contato comigo.

    Força com a boa vida. Beijos na família.

  3. Por acidente (eta palavra feia), esbarrei (desastre!) com seu blog. Quanta força e beleza tem as suas escolhas! Que elas sejam sempre muito felizes e abençoadas!

  4. Manu xará,
    Depois que conheci você e sua família, me pego pensando se a chuva chegou aí, se vocês estão bem e por aí vai…Adoro, respeito e admiro a coragem que tiveram. Dei link pra marido que leu tudinho e também ficou comovido e maravilhado. Agora somos dois a pensar se a chuva chegou… Outro dia, falando de amores de uma vida inteira, referimo-nos à sua história e do Hugo: a escola, a festa junina, o sorteio dos pares, o reencontro…
    É um sentimento delicado também este que toma conta de nós quando pensamos em vocês aí.
    Beijo!
    Manô

    1. Xara (ese teclado nao tem acento, sorry!)
      Escrevo pra dizer te contar que choveu!Que ta tudo verdiho, nossa horta recem plantada ta adorando ser regada pelo ceu, que as rosas do meu jardim se abriram, que as mangas estao quase maduras, que a terra ta encharcada de prosperidade e que vamos começar a plantar logo. Tambem escrevo pra dizer que sua mensagem fez festa no coraçao da gente, parece que nos conhecemos a tempo e esse tambem e um sentimento delicado. Doido, ne?

      Beijo em vcs e diga ao maridao que ta tudo bem por aqui!

      1. Querida, desejo meeeeEEEeeesmo que vocês estejam bem. Digo sempre que a felicidade é para quem tem coragem. Portanto, nesse ranking, vocês estão em primeiro lugar na fila. Beijo, xará!

  5. Manu, acompanho seu blog há um tempinho e gosto muito! Acho q tb tenho alma cigana! Porém o que me traz aqui hoje é uma aflição: hj pela manhã vi o noticiàrio e uma catàstrofe se abateu na chapada….não sei se é na região que vc e família moram, mas na hora pensei: “conheço” uma família que vive lá e preciso saber como estão para sossegar meu coração?? Obrigada!!!

    1. Najara querida, que fofa essa mensagem e sua preocupaçao!
      Nos estamos bem sim, a chuva caiu forte por aqui tambem, mas nao fez estragos como os nessa outra regiao da Chapada. Agora mesmo o solzinho vem chegando manso e a chuva da um sossego pra gente plantar mais um cadinho na terra molhada!

      beijos nossos em vc e tenha um dia lindo!

  6. Manu (olha já a intimidade)… Li teu blog inteirinho e estou apaixonada por tudo, pela sua doçura, pela sua família, pela forma como você lida com a vida. Teu textos fazem com que os leitores se sintam tão bem e com essa energia linda que você transmite. Só tenho a te desejar todas as coisas boas desse mundo e que tenha muitas felicidades, és uma alma tão linda e espero que mais pessoas posam sentir essa coisa boa que você transmite. Não te conheço pessoalmente, mas senti isso com o teu blog, que alias, já virou um dos meus favoritos e vou ler sempre.
    Esse texto sobre saudade falou comigo, estou aprendendo a conviver com ela, mas tá difícil, longe da família, amigos e do meu ‘cúmplice’…espero me relacionar melhor com essa saudade toda.
    Beijo grande!

  7. Boa tarde Manu!
    Hj lendo outro blog tive a feliz curiosidade de clicar no link onde dizia contar a história ‘de uma família que mudou-se para Chapada Diamantina’, assim q entrei ‘pecorrir’ o blog com os olhos e logo fui gostando do q estava vendo, as fotografias, parei para ler o relato do parto da Nina e durante a leitura fui me emocionando com cada palavra, como sua filha vai sentir orgulho da mãe q ela tem! Depois fui ler toda sua história e em cada relato eu sentir um profundo amor, amor com a família, com o próximo, com a natureza, com o universo, jamais conheci alguém com tanta coragem e desejo de proporcionar um mundo melhor para seus descendentes. Posso dizer q depois de conhecer vcs me enchi de esperança, aqui, agora, meu coração está batendo de uma forma diferente, muito obrigada por compartilhar um pouco dessa experiência comigo.

    Em tempo, sou baiana, moro em Vitória da Conquista – BA e amo a Chapada Diamantina, eu e meu marido sempre que sobra um tempinho vamos a Chapada, vc está morando no município de Piatã? Esse ainda não conhecemos, vamos sempre a Mucugê, Andaraí, Ibicoara e Lençóis.

    Um abraço na família.

    Att. Mônica

    1. Ei, Mônica!
      Que linda essa mensagem, menina! Fico muito feliz em saber que nossa história te tocou de forma tão boa, de verdade!
      A cada mensagem dessa nosso coração fica em festa, é a certeza de que estamos mesmo no caminho certo!
      E, sim, estamos em Piatã, bem perto de Seabra. Quando vier por essas bandas, passe aqui para um cafézinho!

      Beijo e muita coisa linda nessa vida pra vc!

  8. Olá Manu! Li sobre sua vida (que para mim soa como Utopia)na revista Voque Kids. Primeiramente quero dizer que, AMO SEUS TEXTOS! Você escreve muito bem, principalmente quando fala de sua família. Se me permite dizer, me sinto quase parte dela. Descreve com tanta emoção que chego a sentir o que sente. Tens filhos lindos! Tomé é uma criança linda e Nina não fica muito atrás.Parabéns, demonstra ser uma ótima mãe! Me identifiquei muito com seus textos, principalmente este, A Saudade.Quando criança mudei-me muito e até hoje, com 17 para 18 anos ainda não descobri a que lugar pertenço, mas de uma coisa tenho certeza: sinto saudade de todos os lugares que estive,mas não uma saudade boa. Uma saudade que dói… Na verdade era assim que me sentia até ler seu texto, agora olho essa danada com outros olhos. Cheguei a conclusão de que sentir saudade, é a maneira mais forte de lembrar o quanto amo aqueles que deixei para trás e te agradeço por isso. Desejo-lhe muita sorte em toda sua jornada. Você, Tomé, Hugo e Nina merecem toda a felicidade do mundo, todos… Ganhou uma fã!!! Mil beijos a você e sua família!
    OBS: Vou continuar acompanhando seus textos e torcendo para que todos os dias, no pé de pêssego floresça as mais belas flores, que darão origem aos mais belos frutos!

    1. Ei, Taiani!
      Gratidão pelo carinho da sua mensagem, fico feliz em saber que a gnte chegou até vc e deixou um pouco de coisa boa por aí! Te desejamos um monte de coisas boas nessa vida, sempre! Um beijo enorme pra vc!

  9. Emocionantes relatos. Me vejo em vocês e você nem sabe a coragem que me dá ao ler suas linhas. Todo sentimento bom pra vocês. Sigo acompanhando cada post. Grande abraço

  10. Família, confesso que fiquei encantado com a história e a coragem de vocês. Nossa família também aspira uma história similar. A minha esposa iria adorar conhece-los. Ela é turismóloga e é uma apaixonada pela Natureza. Eu sou professor de Geografia e Capoeira Angola, e ainda estou estudando numa pós-graduação em Educação Ambiental, mas em breve queremos partir para o campo. Nós morávamos em Bonito – MS e viemos para Campo Grande para que eu pudesse estudar. No momento não sabemos o que faremos a partir do ano que vem, mas algo vai acontecer.
    Boa sorte e bons ventos por aí!

  11. Ah, sim, agora entendi. É muito bom levar uma vida assim. Mas não é pra todos. Parabéns pelo blog. Vou acompanhar sempre que puder.

Solte o verbo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s