A horta

04112013-IMG_3415

Ainda não choveu por aqui, apenas poucos dias de um chuvisquinho malandro que vem pra não deixar a gente perder as esperanças de uma boa tempestade. Seguimos grudados na previsão do tempo, acreditando que São Pedro não nos esqueceu e guardando nossa plantação para mais tarde. Enquanto isso, estamos trabalhando na horta da casa e colocando em prática alguns conceitos da permacultura que estudamos antes mesmo de vir pra cá.

A ideia principal é produzir nela o nosso consumo e cortar mais algumas itens da lista de compra, além da delicia de comer o que foi produzido por nós mesmos com tanto amor e dedicação. O excedente, caso haja, vira moeda de troca com outros produtores locais ou é vendido na feira de agricultores da cidade. Optamos, desde o começo, pelo plantio orgânico, mesmo sendo ele um pouco mais “trabalhoso” que o normal. Nada de agrotóxicos, nada de fertilizantes, muito preparo e cuidado com a terra para que ela cuide bem do que for plantado ali.

Hugo (meu marido ninja!), pegou pesado na enxada e capinou toda a área que escolhemos para a horta. Até esta escolha demanda uma certa atenção, temos que pensar na direção do vento, na quantidade de sombras nos canteiros, na proximidade com a casa, no escoamento de água, na inclinação do terreno. Um bocado de detalhes que, junto a outros fatores, ajudam a garantir um trabalho bem feito. Eu, que só plantei na vida feijãozinho com algodão no copo de Danoninho, vou aprendendo com Hugo (que também nunca fez isso mas mete a bunda onde o coração está!) o quão interessante, bonitas e simples são as coisas da terra.

Então fizemos quatro canteiros maiores, um pequeno para as mudas de tomate que ganhamos do vizinho e outros menores para flores que ajudam a espantar insetos e praguinhas que temem seus cheiros e cores vibrantes. Em uma das laterais replantamos algumas mudas de abacaxi que estavam em outra parte mais longe do terreno e por isso sem cuidado e alguns girassóis. Depois de prontos as “camas” das sementes e mudas, é hora de cuidar dos canteiros para recebê-las. Aqui tudo tem que ter calcário, o PH da terra é muito ácido e jogamos esse pó de pedra para amenizar. Estamos agora esperando alguns dias para poder misturar o adubo e cobrir tudo com papelão e palha de capim. Segundo a permacultura, a terra nunca deve ficar descoberta, assim ela se mantém mais úmida e a gente economiza até 50% de água para irrigá-la. Tão lógico, tão simples e tão pouco usado pela agricultura convencional.

01112013-IMG_3407

Equanto isso, começamos o nosso mudário, a parte mais legal onde toda a família trabalha junta. Tem sido uma delicia sentar ao pé da mangueira, encher saquinhos de terra, colocar com todo cuidado as pequenas sementes, aguar e correr pra vê-las brotando todo dia pela manhã. Nessas tardes, Tomé nos acompanha bagunçando os pacotes de semente, perguntando sobre tudo, correndo atrás da cachorra Pipoca. Nina colabora dormindo em seu cantinho e me deixa de braços livres para trabalhar. Eu queria um dia poder traduzir tudo o que sinto quando vejo a gente ali, juntinhos, de frente pras montanhas da Chapada, com solzinho bom batendo no rosto, semeando nosso alimento e construindo a vida que escolhemos viver. E tudo tão bonito, tão bom de sentir, tão certo de que era pra ser assim, tão feliz e pleno.

05112013-IMG_3427

Também aproveitamos essa espera do calcário na terra para fazer o composto orgânico, um fertilizante natural que a permacultura nos ensinou para dar um “up” nas mudinhas. Hugo estudou, leu, viu vídeos e botou a mão na massa. Com zero dinheiro e muita vontade, juntou adubo seco, cocô de vaca fresco, capim seco, capim fresco, palha de café, urina e pedaços de carne velhos. Cada item desses tem sua função dentro do processo, se quiser entender mais sobre o assunto, aqui tem um vídeo bem massa que explica direitinho tudo (só tem em inglês, óquei?). Depois cobriu com lona e ali fica por 18 dias até se decompor e virar um adubo riquíssimo para o solo. Uma das coisas mais fodas da permacultura, pra mim, é esse lance de aproveitar toda e qualquer coisa que se tem por perto para fazer algo rico e de grande utilidade no seu plantio. Bingo!

01112013-IMG_3405

01112013-IMG_3404

Agora estamos esperando o tempo de transplante das mudas para os canteiros, cada uma tem sua hora e vamos vigiando ansiosos por vê-las fortes. Cada brotinho novo que aponta é motivo de festa na casa. Tomé vai aprendendo junto com a gente e ficamos imensamente felizes em vê-lo crescendo cercado pelas mágicas da natureza, com todo amor e respeito que ela merece! Minha gratidão sem tamanho ao pai dele, meu amor, cúmplice e companheiro, por nos guiar com tanto carinho por essa viagem linda que é o cuidado com a terra, a permacultura. Ainda temos um bocado de estrada pela frente, aí vamos nós, juntinhos!

Ah! E se a permacultura te interessar, aqui tem um monte de coisas legais pra aprender um cadinho sobre o assunto, a gente recomenda! E, se alguém também tiver dicas, livros, links legais para compartilhar, iremos adorar, nunca fizemos nada disso e toda troca é mais que bem vinda.

05112013-IMG_3425

Anúncios

23 pensamentos sobre “A horta

  1. Que bacana! Também vou começar a organizar minha horta mês que vem e só espero que meu cachorro não destrua tudo! Rs…

    vocês são uma família LINDA!

  2. Não lembro muito bem como descobri esse blog, mas sei que me encantei e viciei. Acompanhei a mudança de casa/cidade/estado, o nascimento da Nina, as descobertas do Tomé, o encantamento de vocês com o novo estilo de vida.
    Moro em uma cidade do interior, em uma casa com um bom quintal. Eu e meu marido adoramos plantas, vida saudável. Estamos fazendo um pomar, uma horta e um jardim. Quero que meu filho cresça respeitando a natureza, tendo uma infância rica em aprendizado e lembranças felizes.
    Vocês nos inspiram.
    Beijos.

  3. acabei de conhecer seu blog e estou apaixonada: Pelas Crianças, Pela proposta, pelos textos e Nossa… pelas Fotos. Quanto sentimento dá pra ver nas suas fotos. Parabens. Deus os proteja!!

  4. Foi um misto de emoções positivas que senti lendo cada post e descobrindo a busca de vocês por uma vida melhor, brotou uma semente em mim, que estou repensando minha vida e tenho um anseio que não sei explicar, mas sei que está intrinsecamente ligado a minha evolução espiritual.
    É uma grande dádiva a forma como vocês encaram a vida, simples e natural como tem que ser, também é um gesto lindo partilharem isso com o mundo, inspirando e tocando pessoas, como pássaros que carregam sementes sem pretensão, e essas sementes florescem se tornando árvores frondosas.
    Peço que continuem postando, dividindo conosco essas conquistas tão magníficas, eu fico aqui torcendo e me emocionando, e muito muito feliz, com esperança de um mundo melhor sendo (re)construído, (re)descorberto aos poucos.
    Que Deus continue os abençoando e que vocês recebam as minhas mais positivas energias, eu torço pra que chova, e pra que tudo mais de certo, quem sabe um dia eu possa ter a honra de conhece-los pessoalmente!
    Um abraço!
    Namastê! (O Deus que há em mim saúda o Deus que há em vocês.)

  5. Quem dera poder ensinar algo à vcs , eu é quem estou aprendendo e mto , sempre e cada vez mais torcendo por esta família de guerreiros. Me apaixonei pela Nina pena a distancia ser tão grande. Abços Afetuosos Maria Morais.

  6. Que delícia ler isso, acompanhado das imagens… qdo encontrei o blog tive que arquivar pra ler depois pq queria ler com calma. E agora, as 10:30 da noite de domingo, estou eu cá me deleitando com as escolhas de vocês! Que eu confesso, adoraria ter coragem de fazer… Também só plantei feijãozinho no algodão nessa vida, mas acho interessantíssimo isso tudo! Tô louca pra ver essa horta crescida!! Ah! adorei a caixinha de sapato de fotos do Tomé! Fotos lindas! Cheias de vibrações lindas!! Desejo a vocês muuuita luz pra que essa energia boa, emane pra todos que chegarem até aqui e compartilharem dessas palavras e fotografias! beijinhooos

  7. Esse é um video muito legal sobre bioconstrução, adobe superadobe (http://vimeo.com/41616082)
    Esse é o livro de bill mollison em versão de pdf sempre bom neh (http://www.mediafire.com/view/5r3so84q9oak6im/Introduccion_a_la_Permacultura-Bill_Mollison.pdf),
    um artigo bem legal sobre agroecologia e manejo do solo (http://www.agriculturesnetwork.org/magazines/brazil/3-manejo-sadio-dos-solos/agroecologia-e-manejo-do-solo/at_download/article_pdf), (http://www.centroecologico.org.br/Agricultura_Ecologica/Cartilha_Agricultura_Ecologica.pdf) e caso tenha interesse tbm existe o livro da Ana primavesi : PRIMAVESI, A. Manejo ecológico do solo. 18ed. São Paulo: Nobel, 2006. è um livro extremamente completo sobre solos, e vale muito mais do que a pena ter ele como livro de cabeceira, quando se tem uma horta. Afinal a primavesi é a rainha da agroecologia no Brasil 😉
    Esse link tbm tem bastante coisa (http://cultivehortaorganica.blogspot.com.br/p/publicacoes.html) espero que tenha te ajudado um pouquinho caso queira mais dicas meu email: anaflaviafemme@gmail.com

  8. OI Manu, tudo bem? Sou Patricia, de SP e hoje entrei no seu blog pela primeira vez. Li apenas dois posts mas já estou encantada com as escolhas de vocês, parabéns. Tenho vontade de sair de SP para viver outro ritmo de vida e seus posts enchem meu coração de coragem, obrigada. Seguinte, procurei seu email mas não o encontrei aqui no blog, mas gostaria de te oferecer, caso você venha à SP, aulas de costura. Acho que podem ser interessantes para vocês e, sendo eu professora, posso te ensinar algumas coisas. Quando tiver alguma programação de vir à SP, me escreva, quero poder colaborar de alguma forma. Boa semana,
    Patricia C

    • Ah Patrícia! Você sabe que eu sonho em aprender a costurar um dia? Que lindo seria ter essas aulas contigo! Pode deixar que, assim que souber de um pulo em SP, te escrevo pra gente combinar! Beijos em vc e gratidão pela sua mensagem e pela oportunidade ótima!

  9. Estou em busca desse processo, largar essa vida que nao me pertence e viver a vida de verdade, na terra, com chuva mosquito e sapos coachando. Ainda nao tive o impulso, acho que minha coragem cresce a cada dia, e em breve serei mais uma nesse movimento maravilhoso de migração para a roça, de onde muita gente nunca devia ter saído! A respeito de referencias, o livro “Manual do arquiteto descalço” tem muitas opções verdes de sobrevivência, vale a pena conhecer esse livro. Em blogs como http://jardimdomundo.wordpress.com/ tem muita referencia de construções e soluções reutilizáveis, muito interessante.
    Por favor, nao deixe de relatar os detalhes dessa vida, pois vou me instruindo e munindo a alma de coragem para perder o medo e saber que criar minhocas ou revezar os canteiros nao tem mistério nenhum. Um beijo no seu coração parabéns pela lucidez de escolha. Evoé Axé Namastê

    • Ei, Maíra! Que massa saber que vc tá nesse processo de buscar outras saídas pra uma vida mais leve, tô aqui cheia de aplausos pra vc! A gente tem esse livro sim, ele é nossa bíblia por aqui! Gratidão pela mensagem fofa, pelo carinho que sentimos nela e um abraço de urso em vc! Evoé Axé Namastê! Viva!

  10. Olá Manu e Família, Feliz Páscoa no campo deve ser bem melhor.
    Bom, hoje é sábado de aleluia tenho um montão de coisas para estudar (estou fazendo mestrado em Engª Civil e Ambiental) estou sentado no sofá sem saber por onde começar. Que bom tem encontrado seu Blog e comentar com minha esposa sobre a decisão de vocês. Com certeza ´foi uma decisão acertada e precisa de muita coragem. Estamos nos colocando no lugar de vocês e até encontrar o caminho inicial para uma decisão futura, não tá sendo fácil; Parabéns pela escolha, tenho o mesmo sonho quem sabe um dia, né? Abraços na família!!

  11. Pessoal, Me senti emocionado com este blog. Sempre pensei em fazer uma mudança dessa na minha vida. Mas os compromissos assumidos nos impedem de fazer tal coisa. Desejo muitas felicidades a vocês. Estou acompanhando seu blog. Abraços, CARLOS BIANCHINI.

  12. Comecei ler esse blog a alguns dias atrás, depois de ter visto uma postagem de uma amiga nas redes sociais, e foi até engraçado de tão incrível que foi quando comecei a ler. A história de vocês é muito semelhante com a minha, no começo de 2014 eu e meu marido largamos tudo na cidade (emprego, cursinho, status,…) para nos mudarmos pra roça. Somos bem novos, eu com 20 e ele com 24, mas já desanimados da correria que é a cidade grande em prol só do capital, e como nosso sonho sempre foi ter mais autonomia, tanto profissional, quanto pessoal, na roça sabíamos que apesar das dificuldades isso era possível, e foi. Meu marido que é especialista na área de informática, logo recebeu apoio político e abriu uma pequena empresa de internet para atender as comunidades de assentamento do local e sem deixar de trabalhar na terra, que hoje conta com um galinheiro enorme com galinhas caipiras e uma linda agrofloresta que dá pra gente alimentos saudáveis e nos mostra o quanto é mágico trabalhar a favor da natureza.
    Enfim, esse é mais ou menos um resumo dá minha experiência, mas to aqui lendo esse blog e me identificando muito com várias situações que vocês estão vivendo, inclusive o dá gravidez, já que tive meu primeiro filho agora em julho de 2015. Deixei abaixo uma pagina do facebook do criador do sistema de agrofloresta que estamos desenvolvendo na nossa propriedade e gostaria que descem uma olhada no quanto é eficaz tanto pra gente, quanto para a recuperação das florestas, e sem contar que é auto-sustentável.
    https://www.facebook.com/agendagotsch/?fref=ts

    Parabéns pra vocês, vou continuar minha leitura aqui…rsrsrs

  13. Queria dizer ao meu chefe, agora mesmo! me mande embora por favor!!
    Pegar o que conseguir e o que for mais util, e me jogar em uma aventura dessas…
    Infelizmente minha esposa não tem apresso nenhum por uma vida simples, e tomar agua fervida por exemplo, seria uma tortura para ela….
    Enquanto eu sonho em acordar alimentar as galinhas pegar alguns ovos, alguns ml’s de leite na cabra assar meu prorio pão… ela sonha em precisar nunca fazer isso…
    que prisão… 😦

  14. Queria dizer ao meu chefe, agora mesmo! me mande embora por favor!!
    Pegar o que conseguir e o que for mais útil, e me jogar em uma aventura dessas…
    Infelizmente minha esposa não tem apresso nenhum por uma vida simples, e tomar água fervida por exemplo, seria uma tortura para ela….
    Enquanto eu sonho em acordar alimentar as galinhas pegar alguns ovos, alguns ml’s de leite na cabra assar meu próprio pão… ela sonha em precisar nunca fazer isso…
    que prisão… 😦

Solte o verbo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s